sábado, 31 de outubro de 2009

Halloween do Dragão




A literatura infantil vem contando a participação dos dragões de diferentes formas, seja criando estorinhas do cotidiano humano a partir de fábulas, contendo um desfecho impactante e moral, ou associando-a às diferentes datas comemorativas como o Halloween. Segundo Dav Pilkey, autor da coleção literária "Dragon's Halloween", composta por três volumes, o "Halloween do Dragão" procura inserir a figura do dragão ao contexto do Halloween para não ser esquecida nesta época.



(Vol. I, II e III)



Outras editoras e autores também apresentam outras estórias infantis, como também voltadas para o público (pré)adolescente que narram a participação dos dragões nesta data, além doutras , mesmo que através de estórias lúdicas e fictícias.

A presença dragônica no Halloween



Todos nós sabemos que o Halloween é uma festa bastante tradicional na cultura norte-americana, onde no dia 31 de outubro, as famílias ianques se preparam para festejar a noite do Halloween com festejos temáticos (assustadores, macabros), contos e estórias espantosas e prendas (jogos e travessuras infantis), onde crianças, jovens e adultos se fantasiam de fantasmas, monstros e bruxas para festejar os espíritos que assombram à noite.

Segundo a religião católica, o Halloween nada mais é do que uma festa pagã, sempre associada as manifestações satânicas. Tal manifestação cultural e popular, não-religiosa, também é difundida em outros países da Europa, como também no Brasil, onde aqui, adaptaram a data para o "Dia das Bruxas", sobretudo festejadas em escolas de idiomas e as boates e bares das grandes capitais brasileiras, como também grupos urbanos que cultuam esse contexto: Wiccanos, Góticos e Jovens Heteros e Gays.




Embora as figuras das bruxas e suas abóboras sejam bastantes lembradas e associadas à data, juntamente com as suas vassouras voadoras e as suas poções mágicas, outros símbolos como a escuridão, a lua cheia, os morcegos, as almas que vagam neste plano e o cemitério também são fortemente lembrados. Outros personagens, tais como o vampiro, o lobisomem, a múmia, o Frankstein, os mortos-vivos, os seriais killer's (o famoso Michael Meyers da série Halloween) e outros monstros que não ficaram de fora desta festa, ao exemplo dos dragões.

Os dragões também foram associados a essa data por sua figura representar medo nas pessoas e ser considerada como um monstro apavorador, uma fera bestial, um enviado e mensageiro do Satanas.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Dibo, O dragão dos presentes (Especial Dia das Crianças)



Para quem não conhece o Dibo, ele um simpático dragão, criado pelo estúdio coreano OCON para entreter a criançada. Tal desenho animado passa na TV a cabo e é bastante popular na Corea, na Inglaterra e na França.







O Dibo é um grande dragão roxo, divertido, benfeitor e camarada, o tipo de irmão mais velho que toda criança sonha ter. Assim, como todos os personagens do seu mundo, Cozy Land, ele expressa as suas emoções através do seu corpo. Se há um problema a ser resolvido, ele está sempre está disposto e presente para ajudar, como também para realizar os desejos dos seus amigos.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

"Tornando-se num dragão"




O sucesso da prática do "Dragon Mágic" estará ligado à experiência mágica que o seu praticante possui, quanto mais seguro ele for na teoria e na práxis, melhor será, como também dependerá do seu temperamento e da sua vibração mágica. Uma vez preparado, ele poderá ser regido por dragões antigos que representam as forças dragônicas mais remotas.

Dentro desse contexto, o Dragon Magic é


"(...) o ato de moldar a realidade, adequar os
padrões vibracionais para atingir um objetivo
através do Poder Pessoal, Vontade, Poder Elemental
e Emoção. Junte-se a estes fatores a Possibilidade
Real de vir-a-ser.

Nesta modalidade de magia não é bastante pretender.
Não se trata de milagre. Não se trata de "querer
desesperadamente". Trata-se, outrossim, de uma maneira
particular de se proceder nos caminhos mágicos, com os
dois pés no chão e o coração nos outros mundos."

(Dragões de Avalon, 2008)






Para que esse sistema mágico poder praticá-la com êxito e dentro da ética dragônica, o "Dragões de Avalon" sugerem que o seu praticante, no caso aquele que opte em seguir o "Dragon Magic", torne-se um dragão (metaforicamente). Como assim?!!! Então, tudo leva a crer que ser "um dragão" refere-se a desenvolver o "espírito de dragão" que mencionamos no post anterior, onde o "humano-dragão" deve estar em sintonia com o seu guia dragônico, sobretudo, está em consonância com o seu código de honra,baseado em valores como: "verdade, lealdade, honra, dignidade, bom-combate, coragem e fidalguia"; e também estar na mesma vidração energética.

Para lidar com essa prática mágica é necessário que o indivíduo tenha a consciência exata do objetivo que ele quer alcançar e a determinação para buscá-lo, com seriedade, para que o feitiço lançado ao cosmo não se perca e a energia volte para o seu idealizador, gerando desequilíbrio e danos para a sua vida. Nesse sentido, os rituais são elaborados pelo próprio praticante, tratando-se de uma prática intimista e individual, onde ele contará com os seus próprios atributos: sensibilidade, experiência mágica, bom senso e o respeito ao código dragônico; que irão conduzí-lo até o seu objetivo.





Portanto, a base disso tudo é tornar-se um "dragão".


"Pra se praticar a dragon-magick é
preciso que se torne um dragão em
primeiro lugar. O “grande segredo”
é que dragon-magick é uma magia feita
por por dragões-humanos, pessoas que
vibram na sintonia dessas forças intensas
e avassaladoras.

Quando você se tornar afim um dragão, agir
como ele, caminhar como ele, vibrar como ele,
a dragon-magick virá naturalmente. Dragões
nascem sozinhos. Nascem do fogo, da água, do
ar ou da terra. E aprendem a voar sozinhos, e
a cuspir fogo, caçar, encantar. Nascem da força
de vontade de transcender a existência humana."

(Dragões de Avalon, 2008)




Fonte:

http://www.dragoesdeavalon.org

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

O Espírito Dragônico




"Paganismo não é fascismo, nem anarquia,
nem totalitarismo nem nenhum modelo de estado,
é uma religião libertária e positiva, ou como
querem os indecisos, uma filosofia de vida
embasada no respeito total e irrestrito (desde que
mal não faça a outrem), a toda manifestação de
religiosidade construtiva."

(Dragões de Avalon, 2008)



Considerando que a força dragônica é responsável pela criação e destruição do universo, essa hipótese atribui ao dragão uma dimensão divinal, onde a fonte do seu poder e da sua magia está diretamente ligada a sua essência elementar, a sua energia espiritual. Nesse sentido, o seu espírito é o elemento fundamental da sua força e o fio condutor para aquele indivíduo que busca se conectar com ele, alcançando a sua dimensão e mantendo a sua mesma vibração (sintonia energética entre homem e o dragão).

Embora seja um evento raro, o espírito dragônico pode ser manifestado em seres humanos, geralmente, externado através de impulsos institivos e intensos, podendo ultrapassar os limites da existência pessoal, como se esse indivíduo possuísse um dragão em sua alma, dentro de si. Nesse caso, tal ser especial é considerado um "humano-dragão". Essa vidração dragônica é externalizada através de ações intempestivas e extremadas, como também, de fortes emoções.

O vínculo estabelecido entre o dragão e o "humano-dragão" é uma relação energética baseada no respeito, na confiança, na ética e na liberdade, onde o seu escolhido não pode lhe decepcionar de forma alguma, senão esse elo é quebrado. Ambos devem estar na mesma sintonia, mas para isso, é necessário que você


"(...) se torne um deles, pelo simples motivo
que os seres draconianos não se afinizam
com os ideais humanos, tornando-se arredios
a qualquer tentativa de serem usados como
meros fazedores de milagres ou babás de
caprichos humanos. Tornando-se um Dragão, o
humano passa a vibrar em uma sintonia onde
a futilidade e o ostracismo não são perceptíveis,
envolvendo-se, quase que por uma compulsão, em
tarefas que exigem muito desprendimento e
espírito altaneiro."

(Dragões de Avalon, 2008)





Essa vidração espiritual é fundamental para a prática do "Dragon Mágic", pois o dragão como uma espécie de energia catalizadora que irá ampliar a magia dos seus praticantes, onde o espírito dragônico sempre estará presente como um elemento essencial em seus rituais e feitiços. Portanto, é muito comum que wiccanos pratiquem-no, devido a afinidade espiritual e ideológica que existe entre bruxas e dragões, desenvolvendo até uma parceria mágica complementar e poderosa.



Fonte:

http://www.dragoesdeavalon.org

Os 5 elementos mágicos do Dragon Magic



Assim como a magia utiliza os 4 elementos da natureza (fogo, terra, água, ar) e a energia espiritual (espírito/alma) para os seus fundamentos e os seus rituais, o "Dragon Magic" também usufrui deles em suas práticas, sobretudo, porque cada elemento representa um clã dragônico e o seu líder, como também, identifica os grupos dragônicos entre si, definindo os seus representantes e territórios. Cada dragão-líder apresenta uma peculiaridade específica (característica positiva e/ou negativa,dons mágicos, personalidade e temperamento), onde pode estar em consonância ou não com o nosso estilo de ser, caso seja compatível, cria-se um vínculo entre eles (mestres) e nós (pupilos, aprendizes), gerando uma parceria filosófica e mágica.

Cada elemento representa uma energia, seja ela masculina (considerada como positiva) ou feminina (considera como negativa), como também, cores simbólicas que podem variar de acordo com a cultura e o país. Segundo o blog "Magia e Espiritismo", sobre os 4 elementos da natureza, cogita-se o seguinte:

1. O elemento fogo (caminus): Representado pela energia masculina (+) e regido pelos dragões do sul, tendo como seu principal representante o dragão Fafnyr;

2. O elemento terra (humus): Representado pela energia feminina (-) e regido pelos dragões do norte, tendo como seu principal representante o dragão Grael;

3. O elemento água (agua): Representado pela energia feminina (-) e regido pelos dragões do oeste,tendo como principal representante o dragão Iroh;

4. O elemento ar (aura): Representado pela energia masculina (+) e regido pelos dragões do leste ou oriente (sol nascente), tendo como o seu principal representante o dragão Sairys;


Em se tratando do quinto elemento, a energia espiritual (spiritus), o referido blog não apresenta uma energia definida, mas, eu acredito que possa variar entre masculina (+) e feminina (-), por se tratar de uma dimensão abstrata e intangível, que vai além da natureza concreta, aquela que se pode ver e tocar, e propõe o uso equilibrado dos 4 outros elementos.

Porém, a relação entre dragão e espírito merece um post à parte, pois, é proposto por alguns wiccanos a constituição de um "espírito dragônico", sobretudo para compreendermos a concepção "espírito de dragão" e a importância desse espírito para a prática do "Dragon Magic" ou "Dragon Magick".






Fontes:


http://magiaeespiritualidade.blogspot.com

http://br.geocities.com/jan_sobieskii/mit_bestiario2.htm

http://www.dragoesdeavalon.org

Atendendo à pedidos



Meus queridos amigos-seguidores, atendendo as solicitações e os interesses de vocês, eu senti a necessidade de intensificar as minhas pesquisas sobre o Dragon Magic ou Dragon Magick, buscando mais informações sobre assunto. Com certeza, tal tema é bastante instigante e nos deixa cada vez mais sedentos por informações acerca dele, muito embora, existam poucas fontes bibliográficas e documentais disponibilizadas na internet que o abordem especificamente, onde a sua maioria estão baseadas em relatos de experiências pessoais de quem e grupos que praticam magias em geral, como também o referido sistema mágico.

Eu estou elaborando três posts que tratam deste universo dragônico e mágico, dentre eles: "Os 5 elementos do Dragon Magic", "O Espírito Dragônico" e "Transformando-se em dragão". Trata de posts sequenciais que nos ajudarão a compreender melhor esse assunto.

No mais, é válido ressaltar, que eu não pratico o Dragon Magic, mas, como adorador e pesquisador do universo dragônico, eu não poderia deixar de abordar esse assunto que, pelo menos pra mim, foi uma descoberta recente e acredito que para muitos de vocês também, pois, sugere a nossa sede de informação.

Nesse sentido, a medida que eu for finalizado os referidos posts, eu irei postando-os automaticamente. Atenciosamente, Dan.

domingo, 4 de outubro de 2009

Dibooooooooooo, cadê o meu presente!!!



- "Dibo, eu quero de presente um dragão, você me dá?!!!" rs...


Não custa nada pedir, né?!!! Já que hoje, é o meu aniversário, e quaisquer devaneios, pedidos e desejos são permitidos!!! rs...

Parabéns pra você, nessa data querida...



Meus queridos amigos-seguidores e adoradores de dragões, hoje eu completo mais 1 ano de vida - 32 anos, exatamente. Mas, eu gostaria de aproveitar a oportunidade de compartilhar essa data com vocês e oferecer um pedaço de bolo para cada um (se quiser repetir também pode, bolo PODE!!! rs...), mesmo que simbolicamente, para comemorarmos juntos mais um ciclo que se surge na minha existência terrena - Tomara aos dragões que seja repleto de ótimas conquistas e realizações.

Obrigado pela atenção, o carinho e a participação de todos que gostam do "Colina do Dragão", já que esse blog foi criado com o intuito de registrar fatos, curiosidades e propôr reflexões sobre o universo dragônico.

Parabéns para mim e pra vocês também, com carinho, Dan.

sábado, 3 de outubro de 2009

Os principais dragões da mitologia mundial



O universo dragônico sempre povoou o imaginário coletivo, sobretudo na Era Medieval, onde desde então, os dragões vem sendo tratados como seres mitológicos, fantásticos e até mesmo como divindades, apresentando características extra-humanas (mais para animais quanto para humanos), por diversas e diferentes culturas.

De acordo com a lista dos mais famosos monstros e bestas-feras da mitologia mundial, disponibilizada no "Bestiário", idealizada por Michael Serra, em 31/03/2006, os principais dragões mitológicos são:


Dragão Aido-Wedo (O dragão arco-íris) - Mitologia Dahoney;

Dragão Apalala (Um dragão-rio) - Mitologia Budista;

Dragão Apsu (Deus-dragão das lendas babilônicas) - Mitologia Babilônica;

Dragão Azhi Dahaka (Dragão das lendas persas) - Mitologia Persa;

Dragão Cadmo (Transformado em Dragão de Tebas por oito anos cumprindo pena a Ares) - Mitologia Grega;

Dragão Coulobre (Dragão derrotado por Saint Veran) - Mitologia Cristã;

Dragão Dragão da Cólquida (Dragão que serve a Ares. Também vigiava o Velócino de Ouro) - Mitologia Grega;

Dragão Dragão da Téspia (Dragão que espalhou uma praga na cidade de Téspia) - Mitologia Grega;

Dragão Fafnir (Ser que devido a cobiça transformou-se em dragão) - Mitologia Nórdica;

Dragão Gorynych (O mais famoso Dragão desta mitologia) - Mitologia Russa;

Dragão Illuyankas (Dragão das lendas hititas) - Mitologia Hitita;

Dragão Ismenius (Dragao derrotado por Cadmo do qual ele retirou seus dentes - Spartoi) - Mitologia Grega;

Dragão Jabberwock - Mitologia Saxã;

Dragão Ladon (O dragão que guardava os pomos de ouro) - Mitologia Grega;

Dragão Leviatã (Dragão do Mar que aparece no Livro das Revelações) - Mitologia Hebraica/Cristã;

Dragão Lotan (Dragão que aparece no Livro das Revelações) - Mitologia Hebraica;

Dragão Meonius (Dragão da Lídia derrotado pelo Gigante Damasen) - Mitologia Grega;

Dragão Mushussu (Dragão das lendas babilônicas) - Mitologia Babilônica;

Dragão Nidhogg "A Escuridão" (Serpente que roia as raízes da Yggdrasill) - Mitologia Nórdica;

Dragão Orochi (O dragão de oito caudas e oito cabeças) - Mitologia Japonesa;

Dragão Seiryuu (O deus-dragão do Leste) - Mitologia Japonesa;

Dragão Tarrasque (Dragão aprisionado por Santa Marta) - Mitologia Cristã;

Dragão Tiamat (Deusa-Dragão das lendas babilônicas) - Mitologia Babilônica;

Dragão Wawel (Dragão das lendas polonesas) - Mitologia Polonesa;

Dragão Y Ddraig Goch (O Dragão Veremlho da lenda de Lludd) - Mitologia Celta;

Dragão Yam-nahar (Dragão das lendas cananéias) - Mitologia Cananéia;

Dragão Yaw (Dragão citado no Livro das Revelações) - Mitologia Hebraica;

Dragão Zilant (Dragão desta mitologia presente no brasão dos Kazan) - Mitologia Tártara/búlgara;

Dragão Zirnitra (Deus dragão desta mitologia que influênciou o brasão da Dinamarca) - Mitologia Eslava;

Dragão Zu (Dragão das lendas sumerianas) - Mitologia Sumeriana.


Fonte:

http://br.geocities.com/jan_sobieskii/mit_bestiario2.htm

O Dragão Cinza



Seja no universo mágico ou no universo do rpg, outro tipo de dragão é o cinza.

Para os wiccanos mais conscientes, especialmente os "Dragões de Avalon", uma sociedade mágica que segue e defende a tradição e os preceitos da Grande Arte dos Antigos baseados nos códigos de honra,metaforicamente, consideram todos aqueles que não seguem a magia com seriedade, empenho e verdade como "dragões cinzas". Tais dragões seriam todos aqueles oportunistas que utilizam a filosofia e os rituais wiccanos e dragônicos apenas para os seus próprios interesses, muitas vezes egoístas e mesquinhos que refletem o seu mau caráter, de forma irresponsável, desconectada da harmonia coletiva, sem ética e negativa, denegrindo a imagem da comunidade mágica em geral, suas crenças e os seus rituais e símbolos.

A cinzentude destas ações está em




















"Para a Bruxaria Draconiana não basta que

seus membros decorem ritos e tabelas de ervas.
É preciso uma conscientização da responsabilidade
que pesa sobre cada um que carrega consigo o nome
da Arte dos Antigos. É preciso se esforçar para
fazer de seu caminho um exemplo de harmonia com a
natureza de todas as coisas, inclusive com a sua
própria natureza animal e predatória. Esses exemplos
de como NÃO ser Bruxa chamamos de Dragões Cinza,
aquilo que resta depois que o fogo acaba, aquilo que
não é nem preto nem branco, o que não é coisa alguma.

Qualquer pessoa que busca na Bruxaria um sacerdócio
ao próprio ego; que busca tão somente aprisionar o
espírito de liberdade que há em cada ser vivente;
qualquer ato que cause prejuízo ao bem comum, mesmo
que seja sob um pretexto de “proteger a Arte”, estará
se tornando cinza aos nossos olhos, e punimos com o
desprezo e o silêncio pessoas assim.

(...) Quanto aos Dragões Cinza, dizem que são fantasmas,
que não existem, que são lendas. Porque o que distingue
um Dragão de um jacaré com asas não é o tamanho nem as
labaredas que ele provoca, mas o caminho da honra, justiça
e humildade com que exercem seu direito de também celebrar
e viver a Arte dos Deuses Esquecidos. Se encontrarem dragão
sem honra ou valor, não lhes dêem ouvidos: São assombrações!"

(Dragões de Avalon, 2008)



Para os RPGistas, sobretudo aqueles que jogam o "Guerra dos Paradoxos", o dragão cinza faz parte da linhagem dos dragãos verdadeiros, embora seja o dragão mais fraco em força, menor em tamanho, quando adulto pode chegar a ser menor do que um elefante, apesar das suas asas alcançarem até 5 m cada uma, e ser o mais ágil principalmente quando está voando.

Fisicamente, tal dragão apresenta escamas acinzentadas e pratiadas, bem brilhantes ao nascer, mas vão ficando foscas quando se tornam mais velhos. As suas asas são grandes e possuem membranas com cores variadas, predominando o branco no geral.Também apresenta uma rajada de fumaaça tóxica e sufocante.

Já a sua personalidade é curiosa, tendo um interesse afim as novidades e tecnologias, e mais acessível ao contato com os humanos, podendo até se disfarçar para interagir melhor com os "povos inferiores".




Fontes:

http://www.dragoesdeavalon.org

http://www.rpg.wiki.br/index.php/Drag%C3%B5es_(Paradoxos)

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Gothic Dragon, uma expressão artística



O Gothic Dragon é uma expressão artística contemporânea que associa a filosofia gótica ou o Goticismo¹a figura dragônica, não apenas pelo sua característica mágica e elementar, mas, por características ligadas a força, a honra, a sabedoria e o respeito que os dragões cultivam também na sua filosofia. Acredito também que a adoração gótica pelos dragões esteja ligada ao seguinte aspecto: "Por ambos serem depreciados pela sociedade em geral, o dragão por se tratar de uma figura lendária má interpretada no ocidente e pela Igreja Católica, considerando-a uma besta fera diabólica, e os góticos por ser considerado um subgrupo indesejável e satanista,onde ambos sofrem preconceitos e postos à margem divina e da social, sendo rotulados de forma pejorativa e negativa".

O Gothic Dragon pode ser expresso à seguir:


a) Vestuário e acessórios (8)









b) Elementos decorativos (4)





c) Cartoons (5)








d) Imagens (4)







__________________________
1. Para o autor do site Lua Negra (2003), o Goticismo é "uma subcultura, estilo e maneira de pensar. Isso parece bem pretensioso, mas é outra faceta do Goticismo. Umas das principais coisas da cultura gótica é a apreciação pela dicotomia da vida, o contraste entre a luz e o escuro, o bem e o mal, coisas das quais uma não poderia existir sem a outra, e os valores tradicionais de julgamento ligados a estes opostos não são necessariamente verdadeiros. Os Góticos tem uma tendência de ter um senso de humor perverso e negro, um amor à história, literatura e musica. Tentar colocar os góticos em "tipos de pessoas" seria impossível. Os interesses, estilos e suas atividades são as mais diversas possíveis. As vezes, as roupas podem ser uma dica, mas não sempre. Apenas procure por algum sinal de escuridão - este é o fator mais confiável". (Lua Negra, 30/12/2003)






Fontes de Pesquisa:

http://luanegra.do.sapo.pt/gotico.htm

A admiração gótica pelos Dragões




O estilo gótico apresenta características baseadas no contexto social, político e religioso que influencia a sua estética e a sua filosofia, contranstando-se da esfera austéra romântica. Tal estilo surgiu na Era Medieval, após o advento do Renascimento e da expansão comercial burguesa na Europa, ainda no século XII. Nascia o mundo cosmopolita e a ascensão intelectual para se contrapor ao monopólio da Igreja Católica, até então restrita a comunidade monástica, e a filosofia religiosa gótica ganhava o espaço público e ensinava história bíblica.




O movimento gótico envolveu a arquitetura e a religião, revolucionando o aspecto estético e quebrando com a uniformidade geográfica. Baseado na Revolução Francesa (pontualmente, com a construção da Abadia Real de Saint-Denis, entre 1137 e 1144, em Paris, tal monumento ajudava a comunicar novos valores simbólicos) e no trabalho moderno, o gótico lançava uma nova linguagem estética e filosófica, demonstrando que a arte e a estética medieval não atinge a perfeição, mas, o seu oposto, alcançando o escuro e o negativo. A sua linguagem adota fortes conotações pejorativas, exaltando aspectos bárbaros e vândalos, não associando aos antigos povos germânicos.

Porém, apenas no século XIX,durante o romantismo, a filosofia estética gótica é reconhecida, voltando-se para os mistérios medievais. A partir daí, a originalidade do período gótico passou a valorizar a imponência das grandes catedrais góticas alemãs e os gigantescos monumentos de concretos dos centros urbanos e industriais, onde a melancolia e o cenário cinzento e obscuro passaram a influenciar as emoções góticas.

O estilo gótico passou por diferentes fases: O Primitivo ou Proto-gótico, marcado pela construção da Abadia de Saint-Denis em Paris; o Pleno ou Clássico, marcado pela construção das grandes catedrais e monumentos arquitetônicos; o Tardio, marcado pela pouca expressividade artística graças à crise econômica e a peste negra; a Transição decorativa entre 1200 a 1500, marcado por diferentes estéticas góticas (Lanceolado, Radiante/Irradiante, Perpendicular e Flamejante).





Porém, o comportamento gótico não se resume apenas ao visual excêntrico que alguns grupos se adornam e se vestem (vestUÁRIO totalmente preto e tonalidades vivas como roxo e vermelho, usando crucifixos, ankhs, pentagramas, piercings, tattoos, alargadores e cabelo fora do comum), autodenominando-se como "góticos", mas, na ATITUDE. Na busca de definir o comportamento gótico,lançam-se muitos rótulos e preconceitos, sobrecaindo uma desconstrução da própria identidade gótica:


"Outras ideologias também usam muito o "preto"
no seu visual, e entre elas existem sempre uma
atitude que contradiz o que a sociedade atual
impõe, fazendo que ela seja contra esta tal
ideologia, mas o problema é que esse desfavorecimento
é geral, e na maioria dos casos, o preto é jogado para
os góticos, que estão cada vez mais sendo julgados de
rebeldes da sociedade ou adolescentes mimados. Muitas
pessoas não conhecem a cultura gótica, ainda existe
muito preconceito com ela, e por não conhecer, as
pessoas tem medo, e por terem medo, acabam julgando
esse estilo de viver. E por causa disso, acabam
influenciando na nossa própria ideologia, como por
exemplo, o medo dos Neogóticos assumirem que são góticos,
por terem medo da reação da sociedade sobre eles,
transformando a ideologia dentro de si como
se fosse uma vergonha."

(Fábio Goes, 20/10/2007)



Geralmente os góticos se identificam com o sofrimento, seja porque viveram um fato contundente ou um sofrimento que lhe colocaram em contato direto com a realidade da vida, sem fantasias ou fugas, aderindo a sua subjetividade uma constante melancolia ou porque buscam se posicionar contra as imposições sociais. Não se trata de um modismo ou um recalque egocêntrico, mas, uma identidade com a filosofia gótica que prima pela busca do conhecimento, da força, da sabedoria,da inteligência (características essenciais dragonescas). Eles geralmente se expressam através da dor, da melancolia, do sofrimento, dos seus momentos íntimos de introspecção. Eu diria que eles são bem sensíveis, embora, exista uma ala que preferem se fechar, não exercendo a sua capacidade de sentir.


"Muitos dos góticos tem 2 caracteristicas marcantes
entre eles, aqueles que levam os seus sentimentos aos
extremos ( sensíveis ) e aqueles onde a raiva ainda
vaga pela mente, transformando eles em seres altamente
frios, esses geralmente querem se distanciar de todos
para que possam pensar sobre as suas vidas. Há alguns
raros casos que a pessoa varia de característica
dependendo do dia, dai é que vem o termo "inconstância
gótica."

(Fábio Goes, 20/10/2007)



Os góticos vão buscar em seus sentimentos uma razão para viver, sempre buscando uma "lenda pessoal", como diria Paulo Coelho (um amor existencial), para viver e superar os seus sofrimentos. São amantes das artes em geral, da música e da literatura, encontrando nelas sempre algum apoio ou alguma resposta para as suas angústias e dilemas. Aqueles que não conseguem se encontrar e perdem a esperança na vida, acaba tomando desfechos extremos como o suicídio. A sua predileção por cores escuras como o preto, é uma forma de expressar a sua adoração pelo escuro e pela noite, demonstrar o seu luto e apatia social e reforçar a sua identidade através da diferença e da contestação, nem sempre se trata apenas de uma rebeldia.


Sobretudo a sua filosofia de vida propõe viver num mundo de aparências e impessoalidades, sem falsidades e mentiras. Encontra na tristeza, no sofrimento, nas lágrimas, na contrariação de normas e leis e no isolamento uma forma de expressar os seus sentimentos e suas dores pessoais como um desabafo a tudo o que sufoca a sua essência.




É comum associarem os góticos às práticas satânicas,sendo algo que não procede:


"(...) "Você é satânico?" A resposta todos já devem saber,
"Não"( Mesmo porque, satânico esconde sua magia, não
liberta ela a face de todos ). O gótico é uma ideologia
e não uma pessoa, e por isso, o gótico não segue nenhuma
religião, pois não gostam de seguir mandamentos e regras
de outros. A religião é encarada como se fosse algo
fantástico, um mundo de fantasia aonde as pessoas fogem
da sua realidade e tristezas e buscam através de uma reza,
uma salvação. As esperanças é importante para os humanos,
mas o gótico não vê esperanças certeza para a sua salvação,
mesmo porque, em toda a sua vida nunca aconteceu um milagre
para que possa salvar a ovelha negra perdida. Os Góticos
acreditam que a esperanças é cultivada através da vontade
dos próprios seres..."

(Fabio Goes, 20/10/2009)


Porém, uma ala gótica aprecia muito os assuntos que abordem questões míticas, lendárias, elementares, mágicas, assim como a sua apreciação pelo universo dragônico, onde a figura do dragão encontra-se presente nas suas vestes, em seus adornos, nas suas expressões artísticas em geral, ao exemplo do "Gothic Dragon".




Fontes de Pesquisa:

Flog zyb885. Sobre a cultura gótica. O que é gótico?

http://flog.clickgratis.com.br/zyb855

http://luanegra.do.sapo.pt/gotico.htm

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Shiryu, O Dragão de Libra




Como vocês devem estar sabendo, nós estamos entrando no mês regido pelo signo de Libra, meu signo, e como tal, eu não resisti a tentação de fazer referências sobre ele, ainda mais sabendo que ele é regido por um bravil dragão, o Shiryu.

Na Astrologia, o Signo de Libra ( 23 de setembro a 22 de outubro) é o sétimo Signo do Zodíaco, u único signo a não ser simbolizado por um animal, mas, por uma balança, visando sobretudo a justiça e o equilíbrio, e é representado pelos seguintes planetas e astros: "Dominado por Vênus (a Deusa do Amor e da Guerra, por isso, para esse signo não há limites para a paixão e busca os resultados via a cooperação), exaltado por Saturno (tal planeta rege a análise comparativa, a razão), aquecido pelo Sol (tal astro sempre está em busca de sentido, de motivos para a vida) e exilado por Marte (tal planeta é o símbolo da iniciativa, desdenhando, muitas vezes, a ajuda alheia, a cooperação, e também a carência afetiva)".

No ambiente familiar, o signo de Libra é dominado pelo aspecto masculino dos pais e, de certa forma, o conflito familiar, onde os pais versus as mães, buscam conquistar os seus próprios espaços no mundo. Isso pode acarretar dificuldades no relacionamento,precisando ter maleabilidade para lidar com os conflitos e saber fazer concessões, sobretudo em situações de stress afetivo. Nesse sentido, o libriano não sabe definir com clareza qual é o lado parental (paterno ou materno) que define melhor a sua personalidade.

NO ambiente afetivo, o signo de Libra pode oscilar entre momentos equilibrados, vivendo um amor calmo e sinergético (em sintonia), e momentos conturbados, marcado por paixões intensas, confusas e desarmoniosas. A sua área de comando é o relacionamento, por isso ele não mede esforços para mantê-lo feliz e harmonioso. O complemento afetivo de Libra é Áries:


"Áries precisa aprender com Libra a controlar
seus impulsos, buscando a harmonia, e Libra
deve procurar a energia da ação ariana para
não cair na inação e na falta de decisão. Esse
é o eixo do relacionamento do EU/TU."

(Graziella Marraccini)


No ambiente da personalidade, o libriano é um ser amigável, divertido, acessível, dinâmico, democrático, gentil, refinado, adorador da beleza e competitivo, mas, não suporta bagunça e desorganização. Embora, prime pelo equilíbrio, a sua racionalidade também dá espaço para a indecisão, pois, em suas análises ele sempre lista os prós e os contras para poder tomar a melhor decisão.

No ambiente religioso, o signo de Libra é representado na "Santa Ceia" de como o Leonardo Da VinciApóstolo João, a personificação da impacialidade e da conciliação, embora cogíta-se que um dos mistérios que envolvem essa obra é a presença de Maria Madalena (representação do carinho e atenção com Jesus) no lugar de João - 7ª posição na ceia da direita para esquerda.




O dom do libriano seria:


"A ti Libra, dou a missão de servir, para que
o homem esteja ciente de seus deveres
para com os outros, para que possa aprender
a cooperação, assim como a habilidade de
refletir o outro lado das suas ações, Hei
de levar-te aonde quer que haja discórdia e
por teus esforços te concederei o dom do amor".

(Girafamania, 26/01/2009)






Porém, o mês de outubro e o signo de Libra são regidos pelo cavaleiro do zodíaco Shiryu ou Dragão Púrpura (roxo). Segundo os Cavaleiros do Zodíaco, tal cavaleiro-dragão é representado pela "Constelação de Dragão", onde a cor púrpura simboliza as flores de lavanda da paisagem de Rozan, como também, o equilíbrio entre a frieza do azul e o calor do vermelho.

Entre os cinco cavaleiros de bronze, Shiryu é o cavaleiro mais maduro e sábio, tendo uma capacidade psíquica invejável, onde a sua sagrada armadura de dragão possui propriedades de ataque e defesa, adotando técnicas supremas. Quando o cosmo de Shiryu se expande, alcançando o ponto máximo, surge nas costas do cavaleiro a imagem de um grande dragão verde e branco para protegê-lo de perigosos inimigos e participar de grandes batalhas.

Durante a evolução da história dos Cavaleiros do Zodíaco, em mangá e anime, a armadura dourada do dragão já passou por algumas restaurações, embora ela seja constituída pelos seguintes complementos: escudo do dragão (o escudo do lado esquerdo de Shiryu, sendo notada por sua durabilidade), punho do dragão (o punho do lado direito de Shiryu, com forma de cabeça de dragão, que dá o mais poderoso soco de todas as armaduras), armadura de ouro de libra (tal armadura dourada contém 12 armas e só surge para Shiryu quando ele precisa ajudar os seus amigos em grandes batalhas combativas, tais como: "Poseidon, Senhor dos Mares, Thanatos e Deus da Morte").

Em suas lutas, Shiryu utiliza os seguintes golpes: "Cólera do Dragão" (trata-se de um soco direto, com o efeito de uma rajada de dragão, onde o seu poder pode variar de acordo com o seu cosmo. Seu ponto fraco é o coração), "Dragão Voador" (é uma variação menos potente de soco que não expõe o seu ponto fraco), "Último Dragão" (trata-se de um golpe suicida que Shiryu está proibido de utilizar porque pode levá-lo a sua morte, onde esse golpe leva-o a suspensão ao ar, até o espaço,onde ele e o inimigo podem morrer sem ar), "Cólera dos 100 dragões" ( é o golpe em que o cosmo de Shiryu atinge ao máximo,atacando o inimigo com os braaços estendidos e as mãos abertas,soltando poderosas rajadas representando a fúria de 100 dragões) e "Excalibur" (trata-se de uma espada que representa o cosmo mortal no braço direito de Shiryu).



Fontes:

http://www.girafamania.com.br/primitiva/astro-libra.htm

http://br.geocities.com/historias_ocultas/autoresocultos/leonardo_da_vinci_ultima_ceia.htm

http://pt.wikipedia.org/wiki/Shiryu_de_Drag%C3%A3o

Fazendo um origami de dragão



Tudo bem, que nós do ocidente não somos experts em "origamar", mas, não custa nada tentar, não é mesmo?!!! Vai que você consegue e desenvolve a aptidão para exercer essa arte manual... Então, é só seguir os passos, step by step:







Quem conseguir montar o seu dragão de papel e se tiver o interesse de expô-lo, é só tirar uma foto do seu origami e me enviar para o e-mail (digor_77@hotmail.com), que eu posto aqui com o maior prazer, dando os créditos e a ficha técnica à devida autoria, combinado?!!!