quinta-feira, 2 de julho de 2009

A ORIGEM



Se os dragões antecederam ou não a Era dos Dinossauros ainda é algo bastante discutido pelos cientistas e especialistas do assunto, mas, cogita-se à hipótese de que na Pré-história já existiam vestígios deles, junto às sociedades mais antigas. Isso, porque alguns povos associavam a existência deles a descoberta de fósseis de grandes portes, tais como os fósseis de dinossauros e as ossadas de outras grandes criaturas como baleias, crocodilos ou rinocerontes. Para alguns, tratavam-se de ossos de dragões.

Verdade ou mito, pode-se afirmar que a origem dos dragões está ligada à história dos povos antigos, estando presente no imaginário simbólico em milhares de culturas ao redor do mundo. Partindo desse pressuposto histórico, os primeiros indícios da existência dos dragões são datados a partir de 40.000 a. C. em pinturas rupestres de aborígines pré-históricos que viviam na Austrália. Nesse contexto mítico e fantasioso, provavelmente, os dragões eram cultuados e reverenciados como deuses, sendo considerados como os responsáveis pela criação do mundo.

Segundo a Discovery Channel, em seu documentário intitulado "DRAGÕES: UMA FANTASIA QUE SE TORNA REALIDADE", produzido por Darlow Smithson, não existem provas concretas de que a humanidade tenha convivido diretamente com estes seres, onde, essa relação tenha apenas acontecido de maneira mítica, através de mitos, lendas, contos e estórias fantásticas. Assim, tudo o que nós sabemos ou podemos encontrar são dados e registros baseado em hipóteses, em exercícios de imaginação e ludicidade.

Tal documentário, tipifica a origem dos dragões a partir de quatro categorias: O Pré-histórico, o Marinho, o da Floresta e o da Montanha.


I - O DRAGÃO PRÉ-HISTÓRICO




De uma forma em geral, os dragões pertenciam o período cretáceo, sendo os maiores animais voadores que já existiram. Especificamente, o dragão pré-histórico era


"(...) descendente do grupo de dragões aquáticos ou semi-aquáticos
que ocupou os pântanos costeiros há mais ou menos
200 milhões de anos, no final do período Triássico, e que deu origem
a espécies marítimas e terrestres. As espécies terrestres eram
inicialmentequadrúpedes e corriam sobre as quatro patas
sem poder voar ou cuspir fogo. Uma dessas espécies desenvolveu
a habilidade de correr sobre as pernas traseiras. Como as pernas
dianteiras deixaram de ser usadas para se manter de pé ou correr,
continuaram evoluindo, transformando-se eventualmente em asas
e tornando o vôo possível. Este processo é quase exatamente igual
ao da evolução do vôo dos pássaros, descendentes de
um pequeno dinossauro bípede. Em determinado momento
- e não existem provas fósseis desta teoria -, os dragões teriam
hospedado no intestino uma bactéria ativa capaz de produzir hidrogênio.
Isto permitiria que, apesar do seu tamanho, os dragões não sofressem
as mesmas restrições de vôo dos pássaros e morcegos,
e chegassem a ser os maiores animais voadores da história,
desafiando um dos maiores carnívoros daquela época, o Tiranossauro Rex.
Além disso, os dragões teriam ingerido minerais inorgânicos,
tais como platina, provocando a ignição catalítica do hidrogênio
produzido nos intestinos. Esta potente arma, o fôlego de fogo,
completou o arsenal do dragão. Começava então,
o reinado do dragão pré-histórico."
(Discovery Channel)


II - O DRAGÃO MARINHO OU AQUÁTICO



Como as primeiras espécies de dragões eram aquáticas ou semi-aquáticas, elas viviam em pântanos e nas costas litorâneas, havendo uma semelhança com o modo de viver dos crocodilos modernos. A partir de uma explosão cataclismática, há cerca de 65 milhões de anos atrás, ocorreu a extinção em massa dos seres vivos, onde estes dragões aquáticos sobreviveram. Assim,


"(...) uma eventual mutação dotou estes dragões
com um terceiro par de membros, suplementares aos outros dois,
e fez desta nova espécie a única classe de vertebrados de seis pernas.
Alguns destes novos dragões recolonizaram a terra,
tornando-se completamente terrestres. Seus membros suplementares
evoluíram nas asas totalmente funcionais dos dragões voadores.
Outros permaneceram aquáticos, especializando-se mais e mais
em recursos alimentares marinhos, como os crustáceos,
peixes e tartarugas, animais que conseguiam pegar nas águas rasas do
litoral. Com o passar do tempo, eles evoluíram adaptando-se
a uma vida plenamente aquática e suas asas rudimentares
transformaram-se em barbatanas. Os peixes ficavam presos
na boca dos dragões, cada vez maior e mais longa,
e armada com um grande número de dentes afiados
que podiam segurar as presas escorregadias. Asas, é claro,
eram obstáculos e inúteis na água, e, com o tempo,
diminuíram e desapareceram. O exemplo mais famoso de dragão marinho
talvez seja o Monstro do Lago Ness."

(Discovery Channel)



III - DRAGÃO DA FLORESTA




Já os dragões da floresta habitavam as matas densas e os bambuzais. Isso contribuía para que essa espécie tivesse uma forma corporal longa e sinuosa, parecida com os seus ancestrais aquáticos, cuja adaptação era útil para atravessar com rapidez a vegetação florestal de difícil acesso. Eles também conseguiram


"(...) reter a capacidade de nadar e, em épocas de muito calor,
ou escapando de perigos como os incêndios nas florestas,
eles tinham a alternativa de voltar aos rios.
As asas dos dragões da floresta eram curtas e incapazes de voar.
Entretanto, estes dragões eram capazes de saltos extraordinários,
curvando seus corpos em forma de uma espécie de aerofólio,
conseguindo um “impulso” extra das pequenas asas e
reduzindo seu peso graças às vesículas de vôo cheias de hidrogênio,
como as dos dragões pré-históricos. Alguns descendentes
dos dragões da florestas saíram das matas em busca de
alimentos em terrenos abertos, resultando nos magníficos dragões
que habitaram a China e o Sudeste da Ásia, além de outras
subespécies isoladas que viveram nas ilhas japonesas."

(Discovery Channel)



IV - DRAGÕES DA MONTANHA



Durante o período medieval, o dragão da montanha viveu restrito às montanhas e a outros habitats remotos e de difícil acesso. Porém, essa nomeclatura é um pouco inapropriada, porque, antes de sofrer a pressão da agricultura e do crescimento da população humana, esta espécie vivia muito mais espalhada nas florestas das planícies, não ficando restrita às montanhas.

Como os demais dragões do Período Pós-Cretáceo, os dragões da montanha


"(...) tinham seis membros: um par de asas, além dos
dois pares de pernas, resultado de uma vantajosa mutação
que ocorreu após a extinção do dragão pré-histórico
de duas pernas e duas asas. O corpo do dragão da montanha
era relativamente curto, se comparado ao do dragão marinho.
Um corpo compacto era essencial para voar, pois
uma coluna vertebral longa e flexível é uma desvantagem para o vôo.
A cauda era tão longa quanto o corpo, com uma estrutura
em forma de ponta de flecha e afiada como uma lâmina,
que servia como arma defensiva. Um golpe lateral
da cauda de um dragão poderia decepar o braço de um homem."

(Discovery Channel)


No tocante ao nascimento dos dragões, independente dos quatro tipos citados anteriormente ou se são seres míticos e lendários ou possam ser encontrados vivos ainda hoje, tais como o dragão-de-komodo e o dragão-marinho, eles são animais ovíparos - colocam ovos.


No caso dos dragões-marinhos, trata-se de uma fecundação rara, semelhante aos dos cavalos marinhos, onde o macho fecunda os ovos em sua calda ao invés da fêmea.


Já os dragões-de-komodo, eles nascem de forma semelhante aos demais lagartos e repteis em geral.





6 comentários:

  1. voçê já viu um documentario animal planeta sobre dragões eu tenho um link para baixalo qualquer coisa é só pedir

    ResponderExcluir
  2. Anônimo5/2/10 15:45

    ja viu o livro MANUAL DOS DRAGOES ?

    ResponderExcluir
  3. Galera, eu já dei uma vista rápida em ambas as fontes, por falta de tempo, eu não pude me aprofundar da forma como eu gostaria... De qualquer forma, seu eu precisar, peço um help!!!
    Abração!!!

    ResponderExcluir
  4. nesse tempo existias os gicantes juntos com os dragoes ?

    ResponderExcluir
  5. Gosto muito dos artigos de ótima qualidade do seu Blog. Quando for possível dá uma passadinha para ver nosso Curso de Ingles. Daienne

    ResponderExcluir
  6. Todas essas informações foram retiradas de um documentário FICTÍCIO DE SUPOSIÇÕES BASEADAS EM LENDAS.

    Porém bom tema para um RPG, não?

    finho26@hotmail.com

    ResponderExcluir